Blog da Amanda

  • Devir Consultório

Será que toda birra é porque a criança está em fase de desenvolvimento?

Atualizado: 31 de jul.

Hoje eu quero compartilhar com vocês um assunto que gera muita discussão: as birras!


Existem várias discussões sobre esse assunto para justificar ou não as birras. Mas eu quero trazer para você uma perspectiva.


Já vi muitas coisas pela internet de especialistas em educação falando sobre a questão do neurodesenvolvimento que isso é um fato e que, realmente, existe uma fase na qual a criança tem uma questão de oposição um pouco maior que faz com que elas tenham um comportamento que nós denominamos como birra.


Mas você sabe por que nós chamamos de BIRRA?


A criança se opõe a algo que não faz sentido se opor, as oposições são sem critério. Porém, nós temos que pensar que as crianças não tem critérios, elas buscam fugir da dor e ir em busca do prazer.


Então, vamos pensar que esse é o critério fundamental com o qual a criança nasce: fugir da dor e buscar o prazer. E esse critério é bastante primitivo, certo?


Nós sabemos que a criança está em desenvolvimento e que há alterações hormonais e isso tudo é real, sim. Porém, quando nós ficamos presos em uma única vertente como, por exemplo, o biológico ou o comportamento, é um problema.


Afinal, o ser humano é uma junção entre corpo e alma e, com ela, nós nos fazemos maiores do que o próprio comportamento dos animais.


Quando vamos educar uma criança, nós não vamos olhar somente a questão corporal dela que seriam os comportamentos e as questões biológicas e físicas, mas também o seu potencial, a alma.


Então, se ficamos presos somente nessa parte do comportamento e do físico, nós teremos dificuldade de corrigir essa criança, pois limitaremos ela a isso.


E é como se o fato dela estar nessa fase da vida que proporciona alterações em sua forma de agir fosse o seu destino.


Então, o fato dela estar nessa fase de oposição maior, birra ou como você quiser chamar, te ajuda a compreender a fase em que ela está. No entanto, não te impede de agir, pois você deve ter uma intenção educativa.


Afinal, a birra deve ser corrigida.


Isso porque se não for corrigido, esse comportamento da criança de oposição vai se cristalizando e se torna mais difícil de ser mudado. Ou seja, conforme essa criança cresce, mais agressivos e intensos serão esses comportamentos e mais dificuldade ela vai ter de lidar com as oposições, pois só irá focar em buscar o prazer e fugir da dor.


Mas Amanda, como irei corrigir esse comportamento?


Não é que tem que deixar de castigo. Você precisa ter dentro do seu plano educativo quais as atitudes que você irá tomar para que você saiba qual a consequência que terá aquele ato.


Além disso, é importante que a criança saiba quais são as regras. Vou te dar um exemplo.


Você irá ao shopping com o seu filho. O que iremos fazer?


Compartilhe com a criança o que será feito: vamos almoçar, vamos dar uma volta, vamos comprar um presente pra tia e vamos embora. Então, não tem parquinho, não tem piscina de bolinha, etc.


Explique as regras para a criança e avise que se chorar sem motivo porque quer um brinquedo, um sorvete, iremos embora imediatamente.


Explique as regras do "jogo" e aplique.


Mas Amanda, e se meu filho fizer isso no meio de uma tarefa?


Você vai embora e finalize sua tarefa em outro momento.


A criança precisa compreender que você está falando sério e que o que você fala, você cumpre.


Essa atitude ajuda demais a diminuir esse comportamento de oposição e birra que normalmente as crianças tem. Isso porque as crianças precisam encontrar na gente uma segurança, uma constância, uma fortaleza que vai lidar com as intempéries dela e que vai conseguir colocar as coisas no eixo para lidar com a vida.


Eu espero que esse post tenha te ajudado a entender melhor esse comportamento.


E não esqueça de comentar aqui se tiver alguma dúvida.


Até a próxima

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo