Como desenvolver a empatia nos bebês?

*Texto escrito para a coluna que realizo no blog Amor e Maternidade. Não deixem de conferir os conteúdos incríveis do blog da Mayara Figueredo!


Hoje vou falar sobre algo extremamente importante para o desenvolvimento global do bebê. É algo que influencia na maneira como ele irá se sentir frente a si mesmo, ao outro e tem um efeito direto em como ele vai se relacionar com as pessoas.


Isso mesmo, a empatia!


Mas afinal, o que é empatia?


Essa palavra se refere a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro, sem nos transformarmos no outro. É quando conseguimos imaginar que nossas ações irão refletir nas outras pessoas, e, com isso em mente, passamos a analisar nossas atitudes para que não façamos as pessoas sofrerem. Desenvolvendo a empatia, somos capazes de viver de uma forma mais harmoniosa.


Vamos pensar em um exemplo simples no dia a dia de uma criança! A partir dos dois anos de idade já conseguimos trabalhar essa questão na criança de uma forma mais efetiva, porém desde sempre podemos ir trazendo essa questão para o dia a dia de nossos filhos, ensinando os bebês a entenderem desde novinhos como eles e os outros se sentem.


Se o seu filho pega o brinquedo de um amigo, por exemplo, e a reação do amigo é chorar, bater ou ficar triste, essa pode ser uma oportunidade de se desenvolver a empatia. O que fazer nesse momento? Explique para o seu filho a situação, de maneira paciente! Por exemplo, diga a ele: “quando queremos alguma coisa que pertence a outra pessoa, precisamos pedir, pois se pegamos sem permissão a outra pessoa fica triste. Imagina você no lugar do seu amiguinho, se você estivesse brincando e ele pegasse o seu brinquedo, você iria ficar feliz?”. Essa conversa pode servir como um passinho inicial para que a criança, ainda nova, entenda que as ações têm consequências e que essas consequências podem afetar o outro.


Eu sei que vocês podem estar pensando que essa ideia de empatia é uma construção complexa para uma criança tão pequena. Muitas vezes achamos que bebês e crianças entendem pouca coisa, mas eles entendem sim! Claro que a questão gramatical não será o forte deles, mas os bebês são extremamente perceptivos, então entenderão o que está sendo expressado.


Papais e mamães, exemplos para os filhos!



E outra coisa importante! Papais e mamães, vocês são grandes modelos para o seu filho! Nada melhor para ensinar uma criança do que exemplos que ele verá no dia a dia familiar. É importante trabalhar essa questão de se ajudar e de se apoiarem entre si, pois isso irá ser transmitido a criança desde seus primeiros meses. Bebês tem uma percepção muito grande, então atitudes diárias são modelos que eles internalizam com maior facilidade.


Desenvolvam a empatia em seus filhos. Desenvolvam caso ele seja filho único, para que possa se relacionar com os outros desde cedo, e caso tenha irmãos, para que o vínculo construído seja positivo.


Uma criança que tem dificuldade de lidar com a empatia acaba construindo relacionamentos complicados, pela dificuldade de sair do olhar para si mesmo.




2 visualizações

Devir Consultório de Psicologia

Rua Apucarana, 703 - Tatuapé - São Paulo

Telefone: (11) 3462-3227 

WhatsApp: (11) 94723-3143 (Consultoria do Sono)

WhatsApp: (11) 93218-8627 (Terapia)

©2020. Devir Consultório de Psicologia.